Minha foto
Camila
Quero "todo o amor que houver nessa vida e algum trocado pra dar garantia e algum veneno anti monotonia".
Visualizar meu perfil completo

Recadinho:


ShoutMix chat widget

domingo, 19 de outubro de 2008

Saiu. Não fez. Acabou. Vivendo.

Saiu.

Caminhando sentiu aquela sensação de ecstase. Sim a droga. Uma droga! O barulho de correria e compromissos parecia que estava entrando pelos poros da sua pele, o ar pesado de poluição e de violência era sorvido até suas entranhas. Quis vomitar todos os seus vícios e deixar as ruas ainda mais contaminadas de sentimentos, sentimentos escuros e desumanos.

Não fez.

Ela não se livrou da impureza. Contaminou-se cada vez mais. Não eram vírus. Ou talvez fossem. Talvez sejam. Uma praga. Isso! Que agora a devorava por dentro e ela tinha toda aquela sensação evaporando pelos olhos. Olhos repletos. Olhos perdidos. Olhos vazios. Vazia ficou.

Acabou.

E então caiu em sim. Acordou num inédito jardim. E, sem entender, sentiu o cheiro da felicidade. Provou uma fruta, gosto de romance. Saboreou a hortaliça, era saúde. Bebeu polpa de amor, com gostinho de saudade. Banhou-se em cachoeira de liberdade. Vestiu roupas feitas de ternura. Perfumou-se com compreensão. Calçou-se de fé. E se foi. Agora sim.

Vivendo.

17 Finais Felizes:

Su disse...

O importante é apenas, viver!!!
Beijão e bom domingoooo!!!!

Leandro Neres disse...

Que poesia-conto foi esse, Camila?
Nossa, parece um mergulho de tirar o fôlego, intenso, no final vc respira aliviado...
Belíssimo!
Bjos!
Leandro

Luciana disse...

Muito bom seu texto. Nos faz refletir sobre o valor da vida.

Beijos!

Lorena disse...

Nossa, qeu alívio... que bom o sentimento final, porque eu estava agoniada com todo o sofrimento dela durante o texto. Essas impurezas de alma impregnam e não são fáceis de eliminar, mas não é impossível também... Que beleza. =)

Camilinha, adorot e ler, quando vc vai nos dar a honra de um Bilhete, hein??

beijos!

Fada disse...

Lindo, Camilinha...
O que realmente nos sufoca? Do que podemos nos livrar? Ou melhor, do que conseguimos abrir mão para nos libertar?
Sentir a vida.. liberta.

Muito bom.

Grande beijo!

Roberta.rj disse...

Que lindo texto pra completar o domingo!!! Emocionante!!!
Um beijo e uma linda semana menina contadeira!!!!
ROBERTA

lavanderiavirtual disse...

Quantas batalhas diárias, quantas lutas para sair de nossos pesadelos ou medos. Enfrentar o dia-a-dia é difícil, pesado, mas necessário. Ainda bem que ao final temos aquela sensação boa de ter feito o que era preciso fazer naquele momento, de mudar a paisagem.

Camila, adorei a passagem de uma sensação angustiante, de pesadelo, para uma sensação de bem-estar, de liberdade. :-)

Beijos!
Juca

Luca disse...

Posso confessar: há tempos eu não lia profundamente um texto teu e fui envolvida c a rapidez dos sentimentos e das sensações, a certeza é que o zelo não deve ser demasiado...a dose certa está em se deixar ser levado, em se deixar viver!

Beijos, Camilinha! Talvez, eu tenha te sentido agora!

Márcia(clarinha) disse...

E quando depois de andar por tortuosos caminhos se chega ao fim sorrindo, sinal de que vale a pena viver calçada de fé e vestida de liberdade.

lindo dia flor querida
beijos

João Octávio disse...

Conto ótimo. Tens um estilo bastante peculiar, muito consiso. Gosto assim, contrasta com o que costumo ler.

Que bom que aceitaste o convite. Te adicionei no orkut, aceita-me para que possa depois combinar melhor. Qualquer coisa, se usares menos o orkut do que eu, podes entrar em contato pelo email filosofodebar @ yahoo.com.br (tira os espaços)

Sim, Allan está prestes a lançar o manifesto da confraria da nova literatura brasileira. Achamos que tu deves tomar parte dele. Tudo o que tens a fazer é me mandar uma frase tua de efeito, retirada de algum texto já publicado no blog, e teu nome completo. O manifesto será publicado em todos os blogs participantes.

João Octávio disse...

O rascunho do manifesto você encontra em http://docelingua.wordpress.com/manifesto/

Du disse...

Como o Leandro disse, foi de tirar o fôlego!
Eu vivi a cena, adentrei nela e sofri...no final o alívio!

Adorei!!!

Beijão, querida!

Ps: Deixei um mimo pra vc lá em casa! ;)

Denise do Egito disse...

Camila, que delícia de texto.
Adorei essa parte: Vestiu roupas feitas de ternura. Perfumou-se com compreensão. Calçou-se de fé. E se foi. Agora sim.Vivendo.
Beijos e uma excelente semana para você

Ju... disse...

Como diria Renato Russo...

"Muitos temores nascem do cansaço e da solidão
E o descompasso e o desperdício herdeiros são
Agora da virtude que perdemos.

Há tempos tive um sonho
Não me lembro não me lembro
Tua tristeza é tão exata
E hoje em dia é tão bonito
Já estamos acustumados
A não termos mais nem isso.
Os sonhos vêm
E os sonhos vão
O resto é imperfeito."

Foda. (você e ele)
Rs!
=*

Ju... disse...

P.S.:(acOstumados!) isso que dá copiar e colar! rsrs!
e foda no bom sentido, vc sabe!
:p
lesa eu!

Wagner L. Moreno disse...

precisamos nos libertar de muitos vicios... valeu pelo lindo texto!

http://infocasa.blogspot.com

*Lusinha* disse...

Nossa, perdi algumas atualizações por aqui...
Bem no estilo de "depois da tempestade, o sol volta a brilhar".
É bom acreditar em dias melhores, ver luz no fim do túnel, para termos forças e prosseguir.
Bjitos!

 
©2007 Elke di Barros Por Templates e Acessorios