Minha foto
Camila
Quero "todo o amor que houver nessa vida e algum trocado pra dar garantia e algum veneno anti monotonia".
Visualizar meu perfil completo

Recadinho:


ShoutMix chat widget

terça-feira, 18 de novembro de 2008

Indignada!!!

Antes de dizer o motivo da minha indignação quero dar uma opinião.

Acho bárbaro que os grandes supermercados estejam vendendo livros. Certo que isso já acontece há um certo tempo, mas só fui me dar conta do quanto isso é legal, um dia desses, enquanto me sentia bem fazendo a feira e parando de vez em quando pra folhear um livro ou outro. Nessa brincadeira, eu já comprei 4 livros (tá, só li um, mas claro que ainda vou ler os outros assim que tiver mais tempo). São livros com preço bem acessível, livro de bolso, livro grande, livro pequeno, auto-ajuda, romance...

Bom, dito isso, explico.








Um dia desses, ali estava eu, no supermercado, na seção de guloseimas, toda contente, folheando uma historinha infantil. Na verdade, era uma história em quadrinhos, mas isso não vem ao caso. Aí chega uma garotinha, pega um livro, folheia, solta um sorriso, olha pra mim e eu retribuo o olhar com um sorriso daqueles, bem bobo (tem coisa mais linda que ver um livro arrancar o sorriso de uma criança?).

Então ela leva o livro até a mãe e diz:
-Mãe, compra?
-Não, filha, mamãe tá sem dinheiro.
(Até aí tudo bem, nem sempre a gente tem dinheiro pra comprar um livro, apesar de esse custar só R$ 7,99.)

-Ô mãe, eu quero, olha que lindo!
-Minha filha, mamãe não vai comprar! (já perdendo a paciência)
(E eu ainda entendo.)

-Por favor, mãe... (quase chorando)
-Minha filha, você vai ler o livro, depois vai deixar ele pra lá e vai servir só pra entulhar lá em casa. Vamos comprar outra boneca então? Ela você aproveita mais, certo?
(Nessa hora eu não estava mais entendendo nada!)

A menininha claro que ficou feliz, ela não sabe que a mãe está dizendo a maior, mais absurda, e incrível besteira de vida dela.

E então, me dirigi até a mãe e disse:

-A senhora tem noção do que está fazendo com sua filha!? A menina quer um livro e a senhora prefere comprar uma boneca!? Ou melhor, outra!? Então isso quer dizer que ela já tem pelo menos uma! Como a senhora tem coragem de abrir a boca e dizer que, depois que ela ler o livro, ele não servir de nada!? E a fantasia? E o aprendizado? E o simples ato de ler? Que deveria ser mais incentivado até que escovar os dentes!? E olha que vou ser dentista!!! Mas lendo, ela ia aprender sozinha que escovar os dentes é melhor pra ela e iria fazer! A senhora tem noção do mal que faz à filha da senhora desestimulando assim a leitura!? Pegue esse livro em compre!!!


Ou melhor... Era isso que eu deveria ter dito, ou talvez poderia só ter chamado a mãe em um cantinho e ter tentado explicar pra ela que ler é importante e que um livro lido nunca perde seu valor, mas não fiz nada disso. Apenas saí de lá triste com a mãe, por ela não ter idéia de quão nocivo foi esse ato, e comigo mesma, por não ter feito nada (o que também pode ter sido um ato nocivo). Mas fiquei mais triste ainda quando me dei conta que ainda tem muita gente que pensa como essa mãe e que sou tão impotente diante de tudo isso.












*Vale a pena ressaltar que isso aconteceu no Dia Nacional do Livro (29/10), mas, na hora que ocorreu, eu ainda não tinha sido lembrada dessa data (que deveria ser) comemorativa.

18 Finais Felizes:

Salve Jorge disse...

Que coisa.. acho que no fim das contas.. eu tinha comprado e livro e dito pra linda menininha.. toma e depois de ler, empresta pra sua mãe...

Lorena disse...

Nossa... também me indignaria, também ficaria com raiva e também não diria nada. =(

Pra mim ainda é difícil de acreditar em coisas assim, mas quer ver: dia desses comentei com minha amiga que tem uma filhinha de 5 meses que vi um livro lindo de morrer, cheio de histórias de bichinhos, e que fiquei coçando pra comprar pra Rebeca. E ela me disse o seguinte: "que bom que ela tem uma tia que gosta de ler, porque se depender do pai e da mãe..."
Ela é minha amiga, colega de curso, formanda também... E me disse uma coisa dessas a respeito da educação da própria filha! Mas com ela eu tive liberdade de falar "toma vergonha! Vê se incentiva essa menina a ler pra ela não ficar preguiçosa feito a mãe dela!" =P

Sei lá... Eu sempre presenteio crianças com livros, mesmo que elas não leiam e deixem mesmo jogados num canto tomando poeira... Pelo menos sinto que faço a minha parte.

beijos. =)

Leandro Neres disse...

Fiquei muito triste em saber que esta história é real, puxa, a consciência da leitura devia ser muito mais despertada pelos pais e professores... Eu fico impressionado de conhecer pessoas que são acadêmicos e entopem seus filhos de brinquedos caros e todos estes valores agregados e não deixam seus filhos mergulharem no mundo da leitura, uma pena mesmo...
Muito triste imaginar uma criança quase chorando por um livro e sua mãe cortando este sonho por capricho próprio... Ela não sabe que mesmo que o livro fique guardado na instante ela não percebe que os sonhos que ele despertaria seriam eternos...
Bjs, Camila

Leandro Neres disse...

Legal a história da Loli e acho que sei que é a Rebeca =p

Letícia disse...

Mas é a vida e nosso cotidiano tão bonito e perfeito. E livros são vendidos em supermercados e ficam ao lado da sessão de informática e passo pelos livros e dou de cara com aqueles notebooks e aparelhos de TV e não vejo tanta gente assim na sessão de livros. E caso encontrasse essa mãe, não sentiria tanto espanto. Porque foi na universidade mesmo que, certa vez, fui à biblioteca e procurei um livro do Edgar Allan Poe. O livro era antigo e já tinha sido manuseado e estava gasto, mas no registro que fica bem no final do livro, não tinha nome, nem assinatura de ninguém. Ou seja, o livro já estava lá há tempos e ninguém tinha pego o livro pra ler ou levar pra casa. E coisas assim acontecem até em bibliotecas.

Eu faria o que vc fez, Camila. Não falaria com a mãe. Sou meio Madre Teresa. Eu teria comprado o livro pra menina e pronto. Faria a minha parte.

Bjs.

Luciana disse...

Você está certíssima em ter se sentido mal com a situação. Onde essa mãe estava com a cabeça quando sugeriu a troca do livro pela boneca?? Absurdo... Escola sozinha não faz milagre. Se os pais se esquivam dessa responsabilidade de contribuir para a formação moral e intelectual dos filhos, não será a escola a única responsável por essa formação.

Obrigada pelo carinho de sempre, Camila!

Beijos!

Wagner L. Moreno disse...

que absurdo e que incoerencia dessa mae. Só sendo ignorante como ela pra dizer uma bobagem dessa!

http://infocasa.blogspot.com

Pâmela disse...

Credo! Que mãe mais ignorante! E no sentido 'burra' da palavra.
Poxa, quer mais que um livro pra levar a gente a milhões de lugares desconhecidos e maravilhosos???
Eu, eim. Espero nunca cercear meus filhos ou qualquer outra criança assim.
Beijo!

Márcia(clarinha) disse...

Nosso cotidiano num país onde o livro se perde na fileira de muitas bonecas[perdidas]

Teria feito bem em falar, mas sabe-se lá o que a mãe lhe responderia, né flor? :(

lindo dia querida
beijos

lavanderiavirtual disse...

Pois é, Camila! E depois que elegemos o atual presidente, a coisa talvez tenha até piorado. Não quero dizer que o diploma é fundamental para isso ou aquilo, mas há que se manter o estímulo dos pequenos à leitura. Senão, como cobrar deles o conhecimento ou crescimento pessoal e profissional?

Sua indignação é legítima!

Beijos!
Juca

disse...

Olá criança linda!

Não sei mas penso que falaria com a mãe e depois compraria o livro para a criança. Meu netinho que está com quase dois anos, já tem livros guardados e alguns ele faz ou o papai ou a mamãe dele ler ante de dormir, já virou habito.
Muito triste uma mãe fazer uma troca tão boba como essa.
Pior é saber que essa histporia é verídica.
Beijos filha e bom fim de tarde e que sua noite seja muito iluminada com a luz das estrelas.
Vovó Rô!

RomMa disse...

Voce deveria ter dito, de fato.

Minha família inteira nunca me incentivaram a ler, sejá lá o que fosse. Mas, graças à deus, eu sempre tive uma grande paixão pela leitura. Sendo assim, eu tenho paixão pelo livro. Mas, tenho que assumir, são poucos os livros que me atraeem.

Beijos!

Leonardo Hoffman disse...

Gostei da idéia do Jorge.
Mas é mesmo muito louco e vergonhoso ver isso.
Quando mais novo eu mesmo já quis usar o dinheiro que ganhei da minha tia p comprar um livro,e todos diziam que eu devia comprar uma roupa,um tênis.
Afinal,o livro ia servir só p entulhar meu quarto,certo?

É foda.
Beijo,Camila.

Du disse...

E essas são as crianças do futuro...=/
Já vi coisas assim acontecerem, também agi como você, uma sensação de impotência maior do que eu... =/

Ju... disse...

E até lá em casa quando eu quero dar livros de presente as pessoas estranham...
É assim. É fato.
A leitura não é um hábito...
Infelizmente!

Vivian Sbrussi disse...

Oiii...engraçado...pq a boneca não vai atrapalhar e nem ficar jogada pelos cantos, né?! só os livros ficam!!! Vê se pode uma coisa dessas...Os livros acumulam sim, mas acumulam cultura, conhecimento, etc, na cabeça da gente!!! As mãezinhas e os paizinhos deveriam apoiar os filhos desde pequenos para lerem livros...para pegarem o hábito da leitura!!!

bjinhooooo

Suzi disse...

e, na pior das hipóteses, para não "entulhar a estante", poderia doar para outra criança...
que pena mesmo você não ter chamado a mãe e gentilmente tentado fazê-la entender que "um país se faz com homens e livros". não perca a próxima oportunidade, porque, infelizmente, camilinha, o mundo tá cheio de mães que preferem dar mais uma boneca...

*Lusinha* disse...

Pessoas assim com certeza não experimentaram as maravilhas da leitura.
Bjitos!

 
©2007 Elke di Barros Por Templates e Acessorios